informação



Reabilitação do Edificado do Bairro da Travessa da Arroteia - Pré-fabricados

Execução da candidatura NORTE-05-4943-FEDER-000049

Regeneração socioeconómica e física de comunidades e zonas desfavorecidas

 

No final de 2016, a Espaço Municipal iniciou uma empreitada de reabilitação do edificado (habitações pré-fabricadas) do bairro da Travessa da Arroteia, em Pedrouços. Para efeitos da execução da intervenção, a Espaço Municipal promoveu, com sucesso, uma candidatura ao Programa Norte 2020, no âmbito do Aviso N.º NORTE-43-2016-18, “Apoio à regeneração física, económica e social das comunidades desfavorecidas em zonas urbanas e rurais”. O Aviso tem enquadramento no Eixo Prioritário 5 - Sistema Urbano do Programa Operacional Regional Norte, Objetivo Temático 9 - Promover a inclusão social e combater a pobreza e qualquer tipo de discriminação, Prioridade de Investimento 9.8/9b - Apoio à regeneração física, económica e social das comunidades desfavorecidas em zonas urbanas e rurais.
A operação de reabilitação do edificado da Arroteia enquadra-se numa estratégia abrangente e integrada desenvolvida e apresentada no âmbito do Plano de Ação Integrado para as Comunidades Desfavorecidas (PAICD), do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) do Município da Maia e complementa as restantes intervenções previstas no PAICD, nomeadamente as de natureza imaterial que visam a promoção da inclusão social.

Os objetivos assumidos para estratégia de reabilitação dos pré-fabricados do Bairro da Travessa da Arroteia são:
1. Qualificar a habitação social e aumentar a qualidade de vida das populações;
2. Promover a coesão e a inclusão sociais e a integração e a igualdade de oportunidades das diferentes comunidades.

Concretamente, a operação visou melhorar o estado de conservação de 4 edifícios, a que correspondem 5 habitações, existentes no Bairro da Travessa da Arroteia, que apresentam atualmente diversas anomalias e patologias. Pretende-se com esta intervenção aumentar significativamente as condições de vida da comunidade em causa, procurando, desta forma, mitigar eventuais clivagens sociais, de forma a facilitar a integração da mesma no meio urbano em que se encontra inserida.

De uma forma geral, os trabalhos realizados incluíram a reabilitação das coberturas, fachadas e vãos exteriores. 
Com contrato assinado no dia 22 de dezembro de 2016, a obra foi iniciada no mesmo mês. A empreitada de reabilitação foi concluída em 17 de julho de 2017, tendo um custo total de €37.844,12, dos quais €32.135,13 corresponderam a comparticipação comunitária do Programa Operacional Norte 2020.

 

PROJETO FINANCIADO PELO

  

 

Veja algumas fotografias dos edifícios após a intervenção de reabilitação…